Com votação popular, primeiro filme brasileiro no BIFF leva prêmio

19 . novembro . 2015

Pela primeira vez na história do Brazilian International Film Festival (BIFF), que está em sua quarta edição, um filme brasileiro participou e ganhou um prêmio. Crônicas da demolição, de Eduardo Ades, ganhou como melhor filme na categoria documentário. O longa-metragem conta a história da demolição do Palácio Monroe, antiga sede do Senado Federal, no Rio de Janeiro. Esta, aliás, é a primeira vez que um filme brasileiro participa da mostra competitiva do BIFF.

Na categoria ficção, o público escolheu a produção alemã Labirinto de Mentiras, dirigida por Giulio Ricciarelli. Passado nos anos de 1950, o filme narra uma trama de um jovem procurador determinado a revelar todas as atrocidades cometidas por seus compatriotas durante a Segunda Guerra Mundial.

A votação foi feita pelo público que foi prestigiar as produções. Cada expectador recebia uma cédula e dava uma nota para o filme visto. Foi feita uma média das notas e os mais bem colocadas levaram o prêmio.

Neste ano o cineasta argentino Luis Puenzo, que dirigiu A história oficial, foi o homenageado. O filme foi o primeiro longa latino-americano a levar um Oscar na categoria estrangeiro, há 30 anos.