BIFF 2013: filme paraguaio vence Mostra Competitiva

24 . junho . 2013

Diretor Juan Carlos Maneglia recebe o troféu BIFF das mãos do Secretário de Cultura Hamilton Pereira.


Uma noite de muita emoção. Foi assim o encerramento do II BIFF – FESTIVAL INTERNACIONAL DE CINEMA DE BRASÍLIA, ocorrido na noite de domingo, 23 de junho, no Auditório 1 do Museu Nacional da República. A cerimônia teve início com uma homenagem à atriz Carol Scartezini, que morreu atropelada no último dia 17, quando se dirigia de bicicleta para uma manifestação na Esplanada dos Ministérios. Carol era uma jovem atriz e participou de um dos VTs exibidos antes de cada sessão do II BIFF. Aplausos de pé e lágrimas vieram da plateia. Em seguida, foi projetado o mais recente filme do mestre italiano Bernardo Bertolucci, Eu e Você, que mostra a história de dois jovens irmãos.
 
Vários diretores dos filmes da Mostra Competitiva, diretores de outras mostras que integraram a programação, atores e diretores de cinema de Brasília, parlamentares, jornalistas, representantes do Governo do Distrito Federal estiveram presentes e foram brindados com o talento de Bertolucci. Logo depois, num clima de muita ansiedade teve início a cerimônia de premiação, que distribuiu U$ 50 mil em prêmios – U$ 10 mil para cada categoria (Melhor Filme, Direção, Ator, Atriz e Roteiro). A origem de cada um dos premiados comprovou a diversidade do cinema mundial presente ao II BIFF.
 
Para o belo longa-metragem Blancanieves, do diretor espanhol Pablo Berger, foi conferido o prêmio de Menção Honrosa pela qualidade da obra. Sempre muito simpático, Berger agradeceu e ofereceu o prêmio a Bernardo Bertolucci. A premiação de melhor roteiro ficou com Alicia Scherson, roteirista e diretora do filme O Futuro, uma coprodução de Itália/Chile/Alemanha/Espanha. Já o prêmio de melhor atriz coube a Nilay Erdonmez, de O Mirante, coprodução Turquia/França/Alemanha.
 
Quem recebeu o prêmio de melhor ator, conferido ao grande Ricardo Darín, foi o argentino Hernán Goldfrid, diretor do filme Tese sobre um homicídio que, de forma descontraída avisou que ele não era o ator, mas que os dois iriam celebrar juntos a vitória. Simples, direto, discreto, o diretor chinês Li Ruijun, de tocante Voando com a garça, arrancou risos e aplausos da plateia, quando, no discurso de agradecimento pelo prêmio de Melhor Direção, disse ter adorado tudo: o céu de Brasília, o festival e até o churrasco. “Tive muita sorte de comê-lo”, brincou.
 
Mas o momento de maior emoção veio quando o Secretário de Cultura do Distrito Federal, Hamilton Pereira, anunciou o nome do filme vencedor: 7 Caixas Paraguayas. O prêmio pegou de surpresa o diretor Juan Carlos Maneglia, que fez um discurso comovido, agradecendo o festival e celebrando o fato de seu filme ter sido a produção paraguaia mais vista da história do cinema do Paraguai. Duas conquistas que vão ficar marcadas.
 
O diretor geral do II BIFF, Nilson Rodrigues, e a diretora de programação do festival, Anna Karina de Carvalho, já anunciaram que em julho de 2014 o festival fará sua terceira edição. Ainda mais forte e consolidada pela experiência destes dois anos de sucesso.
 
 
PREMIADOS
Melhor Filme:
7 Caixas Paraguayas, de Juan Carlos Maneglia e Tana Schémbori
Melhor Direção: Li Ruijun, de Voando com a garça
Melhor Ator: Ricardo Darín, de Tese sobre um homicídio
Melhor Atriz: Nilay Erdonmez, de O Mirante
Melhor Roteiro: Alicia Scherson, de O Futuro
 
Menção Honrosa – pela qualidade da obra
Blancanieves, de Pablo Berge